Alcochete

Comandos que morreram não foram refrescados para "não atrasar instrução"

Comandos que morreram não foram refrescados para "não atrasar instrução"

O responsável direto pela instrução de comandos em Alcochete, onde morreram Hugo Abreu e Dylan Silva, recusou-se a refrescar os homens, não obstante o calor que se fazia sentir.

A revelação foi feita esta segunda-feira pelo capitão-médico Miguel Onofre Domingos, arguido no processo, durante a instrução do processo no Tribunal de Lisboa.

PUB

O oficial, que era responsável pelo apoio sanitário da prova zero, integrada no 127 curso de comandos, disse ao tribunal, que face ao extremo calor e ao "cansaço extremo" que notou nos instruendos, contactou o capitão Rui Monteiro e pediu-lhe para fazer passar os homens por uma área com água para os refrescar.

Seria uma forma de hidratar os instruendos, para contrariar o calor. No entanto, o capitão Rui Monteiro recusou, alegando que "iria atrasar a instrução. E que só o faria mais tarde".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG