O Jogo ao Vivo

Setúbal

Compra frustrada de droga termina em vingança à facada

Compra frustrada de droga termina em vingança à facada

Uma compra frustrada de droga na zona dos bares de Setúbal levou a confrontos e pouco depois a uma facada à traição, quase mortal, à porta de uma discoteca.

O caso deu-se na madrugada de 1 de novembro de 2019, e a vítima, brasileiro com 29 anos, sofreu uma perfuração grave no pulmão. Apenas sobreviveu graças à rápida intervenção do socorro.

O agressor, mecânico de 34 anos, está acusado de dois crimes de homicídio qualificado tentado, já que eram dois os alvos das facadas, mas um conseguiu fugir. Também a sua companheira de 23 anos, com quem coabitava, está acusada de cumplicidade no crime, já que instigou o homem a esfaquear os alvos.

Nessa madrugada, dois homens estavam a consumir cocaína dentro da viatura junto a bares da Avenida Luísa Todi quando foram abordados pela mulher de 23 anos que lhes perguntou se vendiam o estupefaciente. Negaram, mas convidaram-na a entrar no carro para consumir com eles. Indignada pelo convite, a mulher foi contar ao companheiro e dirigiram-se, com outro indivíduo, para confrontar aqueles que ainda estavam na viatura. Geraram-se confrontos físicos, que se estenderam por outra rua, já que a mulher se apropriou da chave da viatura.

O suspeito, após ser sovado, foi a casa para ir buscar uma faca com 15 centímetros de lâmina e regressou aos bares, em busca de vingança. Na companhia da mulher, encontrou os dois rivais à porta de uma discoteca, à espera para entrar pelas 5.30 horas e confrontou-os, sempre instigado pela mulher. Não se apercebendo que o arguido trazia a faca em riste, a vítima atirou-lhe o copo de plástico com cerveja que tinha na mão e sofreu um golpe no peito.

De acordo com a acusação, a que o JN teve acesso, o arguido retirou a faca do corpo da vítima e de imediato a empunhou na direção do segundo alvo, gritando "agora é que vamos ver quem é que é homem". Só não o alcançou porque a vítima conseguiu fugir aproveitando os carros que ali se encontravam estacionados para se esconder e colocar obstáculos entre si e o arguido.

O agressor colocou-se em fuga, mas foi detido pouco tempo depois a cem metros do local do crime, livrando-se da arma que foi recuperada pelas autoridades. De acordo com o MP, o arguido atuou com "o único intuito de obter vingança pelo confronto em que se envolveu com as vítimas" enquanto a mulher prestou "o auxílio e apoio ao seu alcance, para que o mesmo esfaqueasse as vítimas".

Outras Notícias