Exclusivo

Construtor apanha sete anos de prisão por maltratar brasileiros ilegais

Construtor apanha sete anos de prisão por maltratar brasileiros ilegais

Um empresário da construção civil foi condenado, nesta semana, a sete anos de prisão pelos crimes de tráfico de pessoas, auxílio à imigração ilegal, coação e ameaças, pelo Tribunal de Coimbra. O homem, com cerca de 40 anos, obrigava imigrantes ilegais a trabalhar mais horas do que as permitidas por lei e sem lhes pagar o ordenado prometido. Duas das vítimas foram ainda obrigadas a dormir, muitas vezes sem jantar, em colchões postos no chão de um armazém de materiais, que dispunha apenas de água fria para os banhos diários. O condenado também explorava uma creche ilegal frequentada apenas por filhos de imigrantes em situação irregular no país. Cobrava 200 euros por mês por cada criança.

O dono da empresa de construção civil inseria anúncios de emprego nas redes sociais direcionados a imigrantes ilegais. Prometia bons ordenados e contratos de trabalho que permitiriam regularizar a situação dos trabalhadores em Portugal e muitos aceitaram a oferta. Contudo, os compromissos assumidos nunca eram cumpridos.

Os imigrantes ilegais eram forçados a trabalhar muito mais do que oito horas diárias em obras do centro e norte do país e recebiam somente uma pequena parte do ordenado acordado. Mesmo assim, por falta de alternativa laboral e sem meios para sobreviver, quase todos mantiveram-se ao serviço da empresa durante vários meses, acumulando milhares de euros de dívidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG