Exclusivo

Contratos de arrendamento. "O problema vai ser quando tiverem de entregar o imóvel"

Contratos de arrendamento. "O problema vai ser quando tiverem de entregar o imóvel"

Cessação dos contratos de arrendamento está suspensa até 30 de junho. Mercado sem alternativas de habitação.

A Associação dos Inquilinos e Condóminos do Norte de Portugal (AICNP) está preocupada com o que irá acontecer após 30 de junho, data em que termina a suspensão do fim dos contratos de arrendamento entretanto caducados. "Há muitas pessoas que estão em situação precária e que, no dia 30 de junho, têm de entregar as chaves do locado e que não têm alternativa de habitação", sublinha, ao JN, Alexandra Cachucho.

Até porque, acrescenta a advogada na AICNP, "não há no mercado, pelo menos na Grande Área do Porto, oferta para dar resposta a todas estas necessidades que se colocam". "Muitas vezes são pessoas que têm rendimentos baixos e que não conseguem encontrar no mercado uma casa com uma renda que seja adequada aos rendimentos que têm. Vão recorrer, nomeadamente, à habitação social e as listas são intermináveis. Não têm efetivamente uma resposta de habitação", explica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG