Exclusivo

Cozinheira da cadeia de Leiria escondia droga no corpo

Cozinheira da cadeia de Leiria escondia droga no corpo

Uma cozinheira do Estabelecimento Prisional Regional de Leiria introduziu elevadas quantidades de haxixe e telemóveis no próprio corpo para iludir o sistema de segurança da prisão e fazer chegar o material proibido aos reclusos.

A funcionária da empresa de alimentação contratada pelos serviços prisionais foi uma das oito pessoas detidas pela Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, no âmbito de um inquérito em que esta também constituiu como arguidos oito reclusos.

Ao longo de, pelo menos, vários meses, a cozinheira recebeu o haxixe e os telemóveis dos familiares e amigos dos reclusos, de acordo com um plano previamente delineado. Depois, escondia a droga e os aparelhos eletrónicos no próprio corpo para iludir os procedimentos de segurança a que era submetida sempre que entrava no estabelecimento. Finalmente, entregava a encomenda aos presos quando estava de serviço na cozinha da prisão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG