Alcoentre

Cozinheira de cadeia preparou refeição em balde de limpar o chão

Cozinheira de cadeia preparou refeição em balde de limpar o chão

Uma das cozinheiras da Cadeia de Alcoentre usou um balde do chão para preparar os condimentos de uma refeição. Confrontada pelos reclusos, disse que estava desinfetado. Cem homens fizeram um levantamento de rancho e conseguiram que a funcionária fosse afastada.

Alguns reclusos do Estabelecimento Prisional (EP) de Alcoentre repararam que uma das cozinheiras estava a preparar condimentos no balde da esfregona habitualmente utilizada para a limpeza do chão. Questionaram a funcionária, que terá respondido que tinha "desinfetado o balde com lixívia", conta, em comunicado, a APAR - Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso.

Os reclusos protestaram e pediram a substituição da refeição. O pedido não foi atendido pelo que pelo menos uma centena de reclusos recusou comer, fazendo um "levantamento de rancho", prometendo repetir o protesto nas refeições seguintes.

Os reclusos decidiram também enviar um abaixo-assinado ao Diretor-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais a denunciar a "situação absolutamente vergonhosa", relata a APAR. Ainda segundo a associação, logo que tomou conhecimento do sucedido, o responsável máximo das cadeias nacionais deu ordens para impedir o regresso daquela cozinheira ao EP, dando disso conta à empresa encarregada das refeições.

"Perante esta atitude, a APAR, ao lado dos reclusos na sua justa luta e revolta, pede agora, quando a razão lhes foi reconhecida, e perante a atitude firme e rápida da Tutela, que terminem o protesto evitando, assim, um qualquer conflito", escreve a associação num comunicado emitido esta quinta-feira.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG