Premium

Crime de Cabanelas: Mãe vai alegar loucura. E desde que foi presa não tornou a falar

Crime de Cabanelas: Mãe vai alegar loucura. E desde que foi presa não tornou a falar

Advogado pede perícia sobre "eventual inimputabilidade" de Fátima Martinho, indiciada pela morte do filho autista de 17 anos.

"Perante o juiz, ela não confessou, não disse nada. Desde que entrou no tribunal [de Mirandela, no dia 7 de julho, na manhã seguinte aos alegados factos], a minha cliente não fez mais declarações. Aguarda o desenrolar do processo". Hernâni Moutinho é o advogado de Mirandela defensor de Fátima Martinho, a mulher de 52 anos indiciada por homicídio qualificado.

Ela terá matado o filho de 17 anos, autista e epilético, empurrando-o para um poço num terreno agrícola isolado de Cabanelas, aldeia de Mirandela, distrito de Bragança, na manhã de 6 de julho. O rapaz terá morrido afogado e a mãe teria intenção de se matar a seguir, mas não conseguiu.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG