Braga

Desfalque na Estradas de Portugal não dá prisão

Desfalque na Estradas de Portugal não dá prisão

Tesoureiro da Estradas de Portugal desviou, durante oito anos, 242 mil euros em 105 cheques-caução de privados por obras em estradas. O dinheiro da empresa pública foi depositado sem controlo em contas particulares.

Era tesoureiro da delegação de Braga da empresa pública Estradas de Portugal (EP), hoje integrada na Infraestruturas de Portugal. Durante oito anos desviou 105 cheques, no valor total de 242 mil euros. Foi, agora, sentenciado, pelo Tribunal de Braga, a cinco anos de prisão, por peculato e falsificação de documentos, mas não vai para a cadeia porque a condenação fica suspensa por igual período. E perdeu 115 mil euros a favor do Estado, que ganhara ilicitamente e que estavam em contas bancárias que detinha.

Leia a nossa Edição Impressa ou tenha acesso a todo o conteúdo no seu computador, tablet ou smartphone assinando a versão digital aqui

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG