PJ

Prisão preventiva para cinco pessoas que queriam casar criança à força

Prisão preventiva para cinco pessoas que queriam casar criança à força

A Polícia Judiciária deteve, terça-feira de madrugada, três homens e duas mulheres suspeitos de terem raptado uma criança de 13 anos, que tinha sido prometida em casamento a um rapaz da mesma idade. Os suspeitos, indiciados por rapto, tentativa de homicídio, abuso sexual de criança e danos com arma de fogo foram presos nas cidades de Leiria e Marinha Grande. Ficaram todos em prisão preventiva.

"A factualidade imputada aos suspeitos ocorreu num fim-de-semana do corrente mês, como reação ao facto de familiares de uma menina, de 13 anos de idade, não aceitarem o casamento dela com um rapaz da mesma idade. Para tanto, reagiram a tiro contra o pai da menor, provocando danos com arma de fogo em diversos bens, nomeadamente numa casa de habitação e numa viatura", explica a PJ em comunicado.

Os indivíduos usaram grande violência para raptar a menor "no intuito de a constrangerem a casar com o rapaz e a manter relacionamento sexual, acabando a vítima por ser libertada, no dia seguinte, pelos presumíveis raptores".

Os detidos, com idades entre os 26 e os 51 anos, não tem ocupação laboral conhecida e todos possuem antecedentes policiais e alguns com antecedentes criminais.

Levados a tribunal para o primeiro interrogatório judicial, ficaram em prisão preventiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG