Violência doméstica

Detido por agredir mulher durante visitas aos filhos

Detido por agredir mulher durante visitas aos filhos

Dois homens foram detidos em Penafiel e em Santo Tirso por violência doméstica. O primeiro, a quem foram apreendidas várias armas, incluindo uma taser, aproveitava as visitas aos filhos para agredir e ameaçar de morte a esposa. O segundo continuou a maltratar a esposa mesmo depois de ter sido detido por tentar atropelar vários elementos da família.

Em Penafiel, o casamento entre um desempregado, de 48 anos, e a mulher, três anos mais nova, vinha sendo marcado por episódios de violência e, no início deste verão, a esposa foi atacada novamente, apresentou queixa na GNR e, com os cinco filhos, abandonou a residência da família. Esta decisão nunca foi aceite pelo agressor, que tentou, por vários meios, reverter a situação. Movido por ciúmes, o desempregado passou a vigiar a nova residência da ainda esposa e, durante a madrugada, chegou, segundo a GNR, a bater "reiteradamente à sua porta, a fim de perturbar o seu sono e dos seus filhos". Acrescenta fonte da Guarda, que também "terá começado a aproveitar as visitas parentais para infligir maus-tratos à vítima", a quem disse que tinha várias armas para a matar.

No âmbito das diligências iniciadas após a apresentação da queixa, o Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE) de Penafiel da GNR avançou, no início desta semana, para a detenção do indivíduo. Nas buscas efetuadas à casa e aos carros do agressor, os guardas apreenderam uma pistola, uma arma elétrica, uma catana, um bastão de madeira e ainda uma réplica de arma de fogo.

Sujeito a interrogatório judicial, o desempregado foi libertado, mas impedido de se aproximar da família.

Evitou usar pulseira eletrónica

A mesma medida de coação tinha sido aplicada a um biscateiro, de 59 anos e residente em Santo Tirso, que tentou atropelar a mulher, o filho e os netos. O incidente só não causou vítimas, porque o filho do casal conseguiu agarrar o volante do automóvel e fazer com que este embatesse num muro.

O crime foi cometido em 13 de agosto, depois da mulher, de 58 anos, ter apresentado uma queixa de violência doméstica. Foi a primeira denúncia efetuada pela vítima durante 38 anos de casamento, mas levou a que o agressor tivesse de sair de casa e de usar uma pulseira eletrónica para evitar contactos com a vítima.

PUB

Porém, o indivíduo nunca respondeu às solicitações da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais para que fosse possível a colocação da pulseira eletrónica e continuou a ameaçar os familiares. Num dos últimos episódios, furou os pneus dos carros do filho e de um cunhado.

Quando, na terça-feira, foi detido pelo NIAVE do Porto, o indivíduo resistiu e tentou agredir os guardas. Foi colocado em prisão preventiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG