PSP

Detido por burlas na internet de mais de 28 mil euros

Detido por burlas na internet de mais de 28 mil euros

Um homem foi detido pela PSP por ser suspeito da prática de mais de 30 crimes de burla qualificada em negócios online de equipamentos eletrónicos, causando um prejuízo patrimonial superior a 28 mil euros.

A PSP avança em comunicado que o homem, de 31 anos, detido na terça-feira, possuía "inúmeros registos criminais, nomeadamente de crimes lesivos da esfera patrimonial", tendo sido presente no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, onde lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Segundo as autoridades, o homem foi autor de inúmeras burlas cometidas através da internet, por todo o país, escolhendo anúncios de compra de bens eletrónicos colocados pelos ofendidos em várias plataformas de venda.

O detido demonstrava interesse na compra dos equipamentos que se encontravam à venda nas plataformas digitais, simulando transferências bancárias através das aplicações usadas para o efeito, com respetiva remessa do comprovativo da ordem de transferência para os ofendidos de forma a credibilizar o negócio, contudo o dinheiro nunca chegava à sua posse.

Quando já tinha os objetos, e de acordo com as autoridades, o agora detido continuava a atender as chamadas dos lesados com reclamações dos pagamentos em falta, mas alegava a existência de problemas com as entidades bancárias, descartando "toda e qualquer responsabilidade na falta dos pagamentos, facto que foi levando as pessoas a assumir que tinham sido ludibriadas".

No comunicado, a PSP acrescenta que a investigação durou cerca de um ano, com as autoridades a identificar e analisar dezenas de burlas cometidas pelo suspeito e que vieram a demonstrar que esta atividade criminal fazia parte do seu modo de vida, fazendo falsas promessas de compras de equipamentos e causando um prejuízo patrimonial superior a 28 mil euros.

No decorrer da detenção foi aprendido um computador, um monitor de computador, um tablet e um telemóvel.

A PSP avança ainda acreditar na existência de outros lesados, sobre os quais a identidade ainda é desconhecida, mas continuará "a envidar esforços" no sentido de chegar a todas as pessoas que foram vítimas deste homem.

Outras Notícias