PSP

Detidos em Espinho remetem-se ao silêncio em interrogatório

Detidos em Espinho remetem-se ao silêncio em interrogatório

Os 13 detidos pela PSP de Espinho no âmbito de uma operação do combate ao tráfico de droga foram presentes ao Tribunal da Feira, na tarde desta quarta-feira, para primeiro interrogatório. Apenas um dos detidos aceitou prestar declarações.

Os indivíduos, sobre os quais recaem suspeitas de tráfico de droga, optaram por não prestar esclarecimentos nesta primeira sessão de interrogatório, exceção para apenas um dos suspeitos, que foi ouvido ao final da tarde pelo juiz.

Os 13 homens voltam assim a ficar detidos até pelo menos quinta-feira, dia em que o Tribunal vai continuar a analisar as provas e decidir quais serão as medidas de coação a aplicar a cada um dos suspeitos.

Aquando da chegada ao Tribunal, as dezenas de familiares que se encontravam no exterior mostravam o seu desagrado pelas detenções. "Muita força para vocês. Não se envergonhem do que fizeram. Vocês não mataram ninguém nem violaram nenhuma criança", gritavam os familiares e amigos. O forte dispositivo policial evitou o ajuntamento na entrada e levou os presentes a dispersarem.

A ação policial levada a efeito, na manhã de ontem, em Espinho, Gaia, Ovar e Feira, designada "Barba Ruiva", resultou, ainda, na apreensão de mais de três mil doses de droga e vários artigos que se suspeita serem provenientes do tráfico.

Na operação, foram empenhadas todas as valências policiais, nomeadamente, da estrutura de investigação criminal, das equipas de intervenção rápida, de trânsito, das brigadas de fiscalização, da patrulha e peritos de armas. Esta operação policial contou, ainda, com o reforço da Unidade Especial de Polícia.

Outras Notícias