Exclusivo

Diretor de Finanças arguido em fraude aos subsídios europeus

Diretor de Finanças arguido em fraude aos subsídios europeus

A Polícia Judiciária (PJ) desfez, esta quinta-feira, uma rede familiar de fraudes na obtenção de subsídios europeus, envolvendo o atual diretor distrital de Finanças de Vila Real, a sua mulher, uma contabilista de Chaves que será o cérebro do esquema, e um cunhado que era gestor da Associação para o Desenvolvimento Regional do Alto Tâmega, uma entidade fiscalizadora da atribuição de fundos. Foram constituídos 31 arguidos.

Tal como o JN avançou hoje em primeira mão, o esquema de desvio de fundos comunitários do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) e do MODCOM (Modernização do Comércio) durou entre 2009 e 2013 e envolveu a atribuição de subsídios na ordem dos 2,5 milhões de euros. Cerca de 70 buscas foram realizadas esta quinta-feira em Chaves, Vila Real, Barcelos, Braga, Vila Nova de Famalicão, Maia, Fafe, Porto e Figueira da Foz por 150 inspetores da Polícia Judiciária do Porto, auxiliados por peritos e elementos da Autoridade Tributária (AT).

Procuradores e juízes também participaram nas diligências, que permitiram recolher documentação indiciadora de fraudes mais recentes com apoios estatais relacionados com os recentes apoios de layoff atribuídos a empresas em dificuldades devido às medidas de prevenção do novo coronavírus.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG