Covid-19

Diretor-geral das cadeias suspende visitas em Lisboa e pede higiene a reclusos

Diretor-geral das cadeias suspende visitas em Lisboa e pede higiene a reclusos

O diretor-geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Rómulo Mateus, suspendeu as visitas a reclusos na zona de Lisboa devido ao Covid-19, à semelhança do que está em vigor desde 7 de março nas cadeias da região Norte.

O dirigente apela ainda, numa carta enviada aos presos, que estes não descurem a sua higiene pessoal, para proteção de todos.

"É no sentido de tudo fazer para vos proteger que tomo agora a decisão de temporariamente suspender a entrada das vossas visitas", afirma, na missiva, Rómulo Mateus, ressalvando que, para "suavizar esta privação", terão direito a mais tempo ao telefone.

"Ordenei que a cada um de vós fossem autorizadas três chamadas telefónicas por dia, de cinco minutos cada, para que a voz dos vossos entes queridos vos possa acompanhar neste período que queremos que seja tão breve como possível", assegura.

Os reclusos irão ainda continuar a receber a roupa lavada pelos seus familiares, mas apenas 24 horas após esta ser entregue, "por mera razão de segurança relacionada com o vírus".

Na carta, o diretor-geral partilha ainda a sua esperança de que, até ao final de março, seja possível "retomar a vida normal". Admite, ainda assim, que tal "vai depender também e muito do comportamento do vírus na comunidade e do contributo de todos e cada um de nós".

"Deixem-se insistir convosco pela necessidade de cumprimento das regras de higiene diária, maneira de nos protegermos a todos", apela.

"Peço que neste momento de crise para Portugal e para o mundo possam os meus concidadãos privados de liberdade dar uma lição de civismo e de cidadania", conclui, dirigindo-se a todos os reclusos do país, Rómulo Mateus, sem deixar de reconhecer o "exemplo de coragem e cidadania" dado já pelos que cumprem pena na região Norte.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG