Crime

Dois detidos e 33 identificados em rede de jogo ilegal em Felgueiras e Amarante

Dois detidos e 33 identificados em rede de jogo ilegal em Felgueiras e Amarante

Uma operação da GNR contra uma rede de jogo ilegal em Felgueiras e Amarante resultou em duas detenções e na apreensão de 58 dispositivos de acesso ao jogo ilícito. Um dos locais visado foi a Casa do Benfica de Felgueiras.

Segundo um comunicado emitido esta terça-feira, a investigação do Núcleo de Investigação Criminal de Felgueiras da GNR decorria há já dois anos. Os militares conseguiram apurar que os dois detidos, de 41 e 42 anos, integravam "uma rede ilegal de jogo e que utilizavam uma plataforma online para angariar clientes que, posteriormente, fariam as suas apostas na mesma, conferindo uma percentagem das apostas aos cabecilhas da rede".

O dinheiro ganho ilicitamente com as apostas era dissimulado através de stands de automóveis e agências imobiliárias que serviam para encobrir a origem real daqueles valores.

Ontem, os militares realizaram 22 buscas, nomeadamente 12 domiciliárias e 20 em cafés, stands de automóveis e agências imobiliárias. Um dos locais fiscalizados foi a Casa do Benfica de Felgueiras que esta segunda-feira, encerrou após a presença da GNR. Já em 2015 este mesmo espaço tinha sido alvo de inspeção por parte das autoridades.

Como resultado da operação de ontem foram apreendidos 58 dispositivos de acesso ao jogo ilícito, entre os quais computadores, tablets, telemóveis, máquinas de jogo e periféricos; 17 routers; duas viaturas; uma arma de fogo e 15 493 euros em numerário.

Além dos mandados de busca, foi cumprido um mandado de detenção que culminou na detenção de um dos suspeitos, sendo que o outro suspeito foi detido em flagrante enquanto se encontrava a recolher o dinheiro de apostas. Ainda foram ainda identificados 26 homens e sete mulheres, com idades compreendidas entre os 25 e os 70 anos, por envolvimento nos crimes em investigação.

Dos dois detidos, um foi restituído à liberdade e outro, com antecedentes criminais pela prática de jogo ilegal, permanece nas instalações da GNR até ser presente, amanhã, quarta-feira, ao Tribunal de Judicial de Marco de Canaveses, para aplicação das medidas de coação.

Esta operação da GNR contou com o reforço do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos e dos Comandos Territoriais de Aveiro, Braga e Vila Real.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG