Póvoa de Varzim

GNR apanha traficante com milhares de doses e pena por cumprir

GNR apanha traficante com milhares de doses e pena por cumprir

Foi numa operação com algum aparato, que contou com o Grupo de Intervenção e Ordem Pública (GIOP) da Unidade de Intervenção, que os militares da GNR do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Porto detiveram, na manhã de terça-feira, um traficante que tinha uma pena de prisão de mais de seis anos por cumprir e que continuava a dedicar-se ao tráfico de grandes quantidades de droga.

Segundo o JN apurou, o indivíduo, de 37 anos, é conhecido pela alcunha de "Calucho" e foi detido, juntamente com a companheira, de 35 anos, na casa onde viviam, em Balazar, uma pequena freguesia do concelho da Póvoa de Varzim, na posse de milhares de doses de estupefacientes. Ele tinha pendente um mandado de detenção para cumprimento de uma pena de prisão efetiva de seis anos e três meses pela prática do mesmo crime, depois de ter sido apanhado pela GNR, há cerca de uma década.

Trata-se de um traficante que já tinha sido detido pelo NIC de Matosinhos, no verão de 2010, em Vila do Conde, juntamente com mais 11 indivíduos, numa operação que resultou ainda na apreensão de mais de 100 quilos de haxixe, entre outro material. "Calucho" liderava essa rede, que operava a partir de Vila do Conde e abastecia as zonas do Porto, Minho e Alto Minho. Foi condenado, mas nunca chegou a cumprir a pena, e dedicava-se, atualmente, com a ajuda da companheira, ao tráfico na zona do Grande Porto.

Agora, "Calucho" voltou a ser detido pela GNR. Foi apanhado na posse de mais de 21 mil doses de estupefacientes - 16900 de haxixe, 2275 de canábis e 2080 de cocaína - e de quase 100 mil euros em dinheiro, na sequência de uma investigação do NIC do Porto que durava há ano e meio e que terminou na terça-feira, com a detenção do casal. Entre outro material, a GNR apreendeu ainda três carros de alta cilindrada.

Os dois detidos foram constituídos arguidos e vão ser presentes esta quarta-feira ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) da Póvoa de Varzim, para aplicação das medidas de coação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG