Acusação

Domingos Farinho, suspeito de ter escrito tese de Sócrates, acusado de vários crimes

Domingos Farinho, suspeito de ter escrito tese de Sócrates, acusado de vários crimes

Domingos Farinho, professor de Direito suspeito de ter ajudado José Sócrates a escrever uma tese de Ciência Política, quando o ex-primeiro-ministro estudava em Paris, foi acusado pelo Ministério Público de burla qualificada, abuso de poder e falsificação de documentos.

Jane Kirby, advogada e mulher de Domingos Farinho, também foi acusada, mas apenas por falsificação de documentos, revela o jornal "Observador". Em causa neste processo estão pagamentos a Farinho no valor de 53.900 euros, que terão sido feitos, pela elaboração da tese de doutoramento de José Sócrates, entre janeiro e novembro de 2014. O documento nunca foi entregue, porque o antigo primeiro-ministro foi detido, no âmbito da Operação Marquês.

Domingos Farinho estava impedido de receber este pagamento, depois de o primeiro pagamento relativo ao mestrado ter sido feito sem qualquer problema, porque o jurista ia assinar um contrato de exclusividade com a Faculdade de Direito de Lisboa, o que impedia. Segundo a acusação, foi assinado um contrato com uma empresa de serviços jurídicos, mas apenas com a intenção de contornar esta questão laboral.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG