Polícia

Perfil: Duarte Lima, de líder parlamentar a suspeito da morte de milionária brasileira

Perfil: Duarte Lima, de líder parlamentar a suspeito da morte de milionária brasileira

O Ministério Público brasileiro acusou, quinta-feira á noite, o advogado de matar Rosalina Ribeiro por esta se ter recusado a assinar um documento a negar qualquer depósito de 5,2 milhões de euros na sua conta bancária.

O ex-deputado do PSD, Duarte Lima, era à data do crime, advogado de Rosalina Ribeiro, num processo de disputa da herança do milionário português Lúcio Tomé Feteira com os filhos do empresário.

Domingos Duarte Lima, que na quinta-feira foi acusado de ter matado Rosalina Ribeiro, nasceu a 20 de Novembro de 1955 em Miranda do Douro, é advogado e jurista de profissão, e destacou-se na política desempenhado cargos no PSD.

Licenciado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa, Duarte Lima começou por ser presidente da Federação Distrital de Bragança do PSD, mas acabou por mudar-se para Lisboa onde prosseguiu a sua carreira política.

Eleito pela primeira vez como deputado à Assembleia da República em 1983, pelo círculo de Bragança, o advogado chegou a líder parlamentar do PSD, cargo que exerceu durante a primeira metade da década de 1990.

Depois, em Janeiro de 1997, venceu as eleições para a presidência da Federação Distrital do PSD/Lisboa, mantendo-se como deputado na Assembleia da República.

No ano seguinte, em Novembro, durante um exame médico de rotina, foi-lhe detectada uma leucemia em estado avançado, o que o obrigou a um internamento imediato.

Esteve seis meses internado mas após um transplante acabou por recuperar da doença e retomar a sua actividade partidária tornando-se igualmente vogal da direcção da Associação Portuguesa Contra a Leucemia e do Conselho de Ética do IPO, Lisboa.

Duarte Lima, também docente universitário, foi em Outubro de 2002 um dos impulsionadores da Associação Portuguesa Contra a Leucemia, que avançou com a ideia de fundar um banco nacional de dadores de medula.

Entre os outros cargos exercidos por Duarte Lima destacam-se o facto de ter sido membro da Delegação Portuguesa à Assembleia da NATO e vice-Presidente da comissão Política Nacional do PSD.