Justiça

Buscas nas instalações do Grupo Lena

Buscas nas instalações do Grupo Lena

Procuradores do Ministério Público e elementos da Inspeção Tributária realizaram buscas em várias empresas do Grupo Lena, em Leiria, no âmbito do processo Monte Branco. A empresa diz que as buscas não estão relacionadas com a sua atividade empresarial.

Além das buscas, que incluíram instalações da empresa do jornal Região de Leiria, foram detidos três elementos do grupo, ligado principalmente à construção civil. Deverão ser interrogados, este sábado, no Tribunal Central de Instrução Criminal, Lisboa.

No processo Monte Branco está em causa um gigantesco esquema de fuga ao Fisco, envolvendo a Suíça.

Já na madrugada deste sábado, o Grupo Lena, em comunicado, diz que as buscas "na sede do grupo nada tinham a ver", tanto quanto foram informados e "foi percetível, com a atividade empresarial do Grupo Lena".

O grupo diz também que, "como é seu dever", "prestou e continuará a prestar total colaboração às entidades competentes, sem qualquer reserva ou constrangimento".

O Grupo Lena diz, ainda, não poder "permitir que quaisquer factos a que a sua atividade é alheia coloque em causa a notável recuperação que tem sido concretizada nos últimos anos, que lhe garantem a sustentabilidade a médio e longo prazo, e que se deve ao trabalho empenhado de todos os seus mais de 2500 colaboradores, nos três continentes em que atua".

"É falso que haja quaisquer detenções de responsáveis ou colaboradores do Grupo Lena, seja a que título for", lê-se naquela nota.

O grupo Lena, de acordo com a sua página oficial na Internet, emprega mais de 2500 pessoas e é constituído por mais de 80 empresas.

Com 80 anos de história, o Grupo Lena tem como negócios nucleares a engenharia, construção, serviços, ambiente e energia.

Além da forte presença em território português, as empresas do Grupo Lena estão instaladas em Argélia, Angola, Brasil, Marrocos, Moçambique, Roménia, Bulgária, Venezuela, Colômbia e no México.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG