Justiça

Sócrates conduziu juiz até documentos levados de casa

Sócrates conduziu juiz até documentos levados de casa

No interrogatório que culminou com a sua prisão, José Sócrates deu indicações que permitiram apreender equipamento informático e informação nele contido que havia sido retirado de sua casa e levado para outro lado.

Esta informação consta da decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que indeferiu, ontem, a providência de "habeas corpus" requerida por um cidadão de Vila Nova de Gaia, visando a libertação imediata do anterior primeiro-ministro, José Sócrates.

Transcrevendo "parte relevante" da fundamentação da prisão preventiva, fornecida pelo juiz de instrução criminal Carlos Alexandre, o STJ revelou que, "entre os dias 20 e 21 de novembro/2014, verificou--se a retirada de objetos, dispositivos informáticos, da casa de José Sócrates". Uma informação que bate certo com as notícias de que, na quinta-feira, dia 20, Sócrates estava em Paris, mas terá sido informado de que o Ministério Público estava a fazer buscas e detenções; e de que a sua empregada doméstica, em Lisboa, terá retirado um computador do apartamento, na Rua Bramcaamp, e levado o mesmo.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Outras Notícias