PSP

Dupla de carteiristas "veteranos" apanhada em elétrico de Lisboa

Dupla de carteiristas "veteranos" apanhada em elétrico de Lisboa

Suspeitos, com várias condenações, fazem dos furtos modo de vida há 33 anos. PSP deteve-os e juiz aplicou preventiva.

Dois carteiristas que, há pelo menos 33 anos, se sustentam em liberdade com o dinheiro que conseguem nos furtos foram, recentemente, detidos pela PSP e colocados em prisão preventiva pelo tribunal.

Os suspeitos, um dos quais com 60 anos, foram detidos após terem atacado, durante cerca de um mês, em elétricos de Lisboa. Um deles foi intercetado a bordo do 15. O cúmplice foi apanhado menos de 24 horas depois, com o contributo de uma equipa policial especializada nesta criminalidade.

PUB

A detenção do primeiro suspeito, divulgada esta terça-feira pelo Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, aconteceu na passada terça-feira, 9 de agosto de 2022, em Belém, uma das zonas de Lisboa mais procuradas pelos turistas e um dos pontos de paragem do elétrico 15, que circula entre a Praça da Figueira e Algés (Oeiras).

O alerta para um furto que teria acabado de ocorrer foi dado a uma patrulha automobilizada por um fiscal da Carris, a transportadora da cidade. "Perante tal facto, os polícias de imediato se deslocaram ao elétrico, onde conseguiram deter o suspeito, sobejamente conhecido e reconhecido por furtos naquela carreira, que ali se encontrava retido por várias pessoas", refere a PSP.

O seu cúmplice tinha conseguido fugir, mas, menos de 24 horas depois, foi identificado e detido, fora de flagrante e com base num mandado de detenção.

Há um mês no radar da PSP

Para tal, contribuiu a investigação de uma equipa da PSP de Lisboa, que, como o JN já noticiou, tem apostado em apresentar os arguidos a tribunal por mais do que um furto, de modo a garantir que o juiz tem argumentos para não os libertar, aplicando, nomeadamente, prisão preventiva.

A dupla estava a ser investigada "há cerca de um mês, altura em que os polícias detetaram um aumento de furtos de carteiras em elétricos turísticos". Os homens estão indiciados por seis crimes e terão subtraído três mil euros. Tinham sido detidos "há muito pouco tempo" e estavam proibidos de andar de elétrico.

A atividade como carteirista é o seu "modo de vida" pelo menos desde 1989, quando", segundo a PSP, "incontáveis condenações lhes começaram a ser inscritas no registo criminal".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG