Ataque

Encapuzado confessa agressão a Bas Dost com cinto em Alcochete

Encapuzado confessa agressão a Bas Dost com cinto em Alcochete

Ruben Marques, um dos agressores encapuzados que entraram na Academia de Alcochete confessou esta tarde de quarta-feira aos juízes do Tribunal de Monsanto ter atingido Bas Dost com um cinto à entrada do balneário.

Ao tribunal começou por pedir desculpa aos jogadores, às suas famílias, à instituição Sporting. "O que fizemos foi muito grave", disse Ruben Marques.

"Entro no edifício com o cinto na mão, sigo até à zona do balneário e foi aí que deparei-me com o Bas Dost na entrada", expressa aos juízes. "Desferi-lhe uma pancada bate e foge com o cinto e segui para o balneário ".

Ruben Marques diz que não reparou que Bas Dost tenha caído no chão e nega ter desferido mais pancadas ao jogador.

No interior do balneário foi reconhecido por Rafael Leão que diz começar a rir-se para ele. "Olho em meu redor, estavam uns cacifos e olhei para o Rafael, mas fiquei constrangido e num impasse porque sabia que ele podia identificar-me já que andámos juntos na escola, então não fiz mais nada, fiquei no canto".

À entrada da Academia, o arguido conta que correu em direção ao campo de treino. "Pensávamos que já estavam lá jogadores, mas não estava lá ninguém, entretanto voltamos para o edifício do balneário". Ruben tentou abrir a porta das botas de acesso direto ao balneário, mas estava fechada e foi aí que tirou o cinto, "como outros fizeram", e atingiu um Porsche estacionado. "Se não conseguíamos chegar aos jogadores, batíamos nos carros", explica. Foi após este momento que entrou no balneário e atingiu o jogador holandês.

O arguido disse que soube pela primeira vez que ia haver uma visita à Academia pelas imagens do aeroporto da Madeira, mais precisamente na troca de palavras entre Fernando Mendes e Jorge Jesus. "No dia seguinte enviaram-me uma mensagem para ir à Academia para ir bater nos jogadores e eu aceitei".

Outras Notícias