Olhão

Entregou-se à GNR o condutor que atropelou jovem mulher e fugiu em Olhão

Entregou-se à GNR o condutor que atropelou jovem mulher e fugiu em Olhão

A jovem de 21 anos, vítima de um atropelamento com fuga, sexta-feira, em Olhão, no Algarve, continua internada, em coma induzido, nos Cuidados Intensivos. O condutor entregou-se à GNR e foi constituído arguido.

Diana Valério foi atropelada e projetada para uma valeta quando caminhava na berma da Estrada Nacional (EN) 125, na localidade de Bias do Norte. Ia apanhar um transporte para o Aeroporto de Faro, onde trabalha com segurança de uma empresa privada. O condutor fugiu, sem prestar auxílio.

Às 6.15 da manhã, uns jovens que passavam naquele local da EN 125, viram uma mochila, pararam e encontraram a vítima na valeta. Estava inconsciente e com vários ferimentos. O INEM transportou-a para a unidade de Faro do Centro Hospitalar do Algarve, onde ainda permanecia, ao início da noite deste sábado.

Devido à gravidade dos ferimentos, foi colocada em coma induzido. Sofreu várias fraturas, nos membros inferiores e nas costelas, e um traumatismo craniano. Só recebe visitas dos familiares mais próximos.

Fonte hospitalar referiu, ao JN, que a equipa médica tentou retirá-lo do coma, mas Diana não conseguiu respirar sem a ajuda das máquinas. Está em estado considerado estável, com prognóstico reservado.

Sem testemunhas do atropelamento, a GNR encetou várias diligências que permitiram localizar um veículo, que levantou suspeitas pelo local onde estava estacionado e pelas marcas que tinha na parte da frente, coincidentes com um atropelamento e as marcas no corpo da vítima.

Através da matrícula, os militares do Destacamento de Transito chegaram ao proprietário, que identificou o filho como sendo o condutor. O jovem, residente em Olhão, acabou por entregar-se na GNR, ao final do dia, acompanhado de um advogado.

PUB

Segundo o JN apurou, contou que adormeceu ao volante, sentiu o embate, mas não parou por não se ter apercebido que tinha atingido alguém.

Explicou, ainda, que trabalha num restaurante em Tavira e regressava a casa. Foi constituído arguido e vai aguardar em liberdade o desenrolar do processo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG