GNR

Espancava companheira com trave de madeira em Paredes

Espancava companheira com trave de madeira em Paredes

Um homem de 35 anos foi detido por violência doméstica em Paredes. Esteve para ser preso em março mas beneficiou de um perdão. Voltou para a casa e prosseguiu com violentas agressões físicas e psicológicas à companheira de 30 anos.

O suspeito já cumprira uma pena de prisão de cinco anos e nove meses por violência doméstica, coação e ofensa à integridade física grave. Desde 2019 que se encontrava a aguardar julgamento por um outro crime de violência doméstica sobre outra vítima.

Em março deste ano, o homem foi detido para cumprir um ano e seis meses de prisão, relativo a outro processo. Porém beneficiou de um perdão devido à pandemia de covid-19 e foi solto.

Regressou para junto da sua companheira, de 30 anos de idade, com quem mantinha uma relação marcada por abusos há cerca de um ano. Segundo uma investigação dos militares do NIAVE de Penafiel, o suspeito exercia violência física e psicológica, ameaças de morte, injúrias, humilhações e desprezo.

Banho em água gelada e espancamento com trave

A vítima sofreu "vários episódios de agressões físicas, chegando a ser obrigada a permanecer dentro de uma banheira cheia de água gelada por um período de duas horas, bem como num lugar ermo, tendo sido alvo de espancamento com uma trave de madeira".

No passado dia 8 de junho, a vítima voltou a sofrer mais um episódio violento de agressões físicas, relata a GNR. E depois das agressões, o homem impediu-a de ir a um posto médico para receber assistência ou mesmo de ir a uma farmácia para adquirir analgésicos para as dores.

Só no dia seguinte e após a vítima ter implorado é que o agressor cedeu e a levou a uma farmácia. A vítima aproveitou a ocasião para pedir socorro e foi encaminhada para uma casa abrigo.

Coagiu a desistir do processo

Ao saber do ocorrido, o suspeito tentou coagir a companheira a desistir do procedimento criminal, ameaçando de morte o filho desta, fruto de outro relacionamento, e a sua mãe.

O suspeito foi detido tendo sido apresentado a primeiro interrogatório judicial, ontem, 9 de julho, no Tribunal de Instrução Criminal de Marco de Canaveses, onde lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Outras Notícias