Exclusivo

Especialistas identificam sinais de autismo em João

Especialistas identificam sinais de autismo em João

Estudante suspeito de querer matar professor e colegas pode ficar preso em Caxias se síndrome for provada.

O estudante de 18 anos suspeito de planear um ataque em que visaria matar um professor e colegas da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa deverá permanecer isolado sete dias no hospital prisão de Caxias, para onde foi transferido, provisoriamente, do Estabelecimento Prisional de Lisboa, onde deveria cumprir a medida de coação de prisão preventiva, depois de se ter manifestado "muito perturbado", na sexta-feira. A medida é comum a todos os presos recém-chegados, por causa da covid-19, mas João deverá ficar sob observação dos médicos do serviço de Psiquiatra.

À saída do tribunal, anteontem, o advogado do jovem, Jorge Pracana, considerou a medida de coação "ajustada", mas disse que ia recorrer. "Aguardo o envio de documentos que poderão ser úteis à reversão da decisão", afirmou. Embora não tenha clarificado qual o seu teor, tudo aponta para que se trate de documentos médicos a atestar que João terá autismo, o que poderia permitir que permaneça na prisão de Caxias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG