O Jogo ao Vivo

Vandalismo

PSP confirma um detido após ataque a esquadra e veículos incendiados

PSP confirma um detido após ataque a esquadra e veículos incendiados

Esta terça-feira de madrugada, a esquadra da PSP do bairro da Bela Vista, em Setúbal, foi atacada com "cocktails molotov" e, em Lisboa, há registo de veículos e caixotes do lixo incendiados.

Uma pessoa foi detida durante a noite na sequência dos incidentes registados em Odivelas e na Póvoa de Santo Adrião, em Lisboa, onde diversas viaturas foram incendiadas e 11 caixotes do lixo foram destruídos com recurso a "cocktails molotov".

Em comunicado, a PSP explica que quatro viaturas foram incendiadas cerca das 21.40 horas de segunda-feira na Póvoa de Santo Adrião (duas) e em Odivelas (duas), no distrito de Lisboa, e que, na sequência destes incidentes, foram incendiados e destruídos 11 caixotes do lixo e danificadas outras cinco viaturas na zona circundante ao Bairro da Cidade Nova.

"No seguimento destes factos, a Polícia de Segurança Pública desenvolveu diligências e investigações que permitiram intercetar quatro suspeitos, tendo sido detido um indivíduo do sexo masculino, de 18 anos de idade, depois de reconhecimento por testemunhas como um dos autores do lançamento dos engenhos incendiários", explica a PSP.

No comunicado, a PSP acrescenta que já durante a madrugada, pelas 03.15 horas, no bairro da Bela Vista, em Setúbal, foram lançados três "cocktails molotov" contra uma esquadra.

"Não houve registo de feridos, mas observaram-se danos na esquadra e numa viatura civil", adianta a PSP, sublinhando que "não foram ainda identificados os suspeitos desta ação criminosa". A viatura civil pertence a um agente policial que estava de serviço.

Elementos da Polícia Judiciária estão esta manhã a recolher indícios no local, apurou o JN.

Na sequência destes incidentes, a PSP reforçou o dispositivo policial nas zonas abrangidas para garantir o clima de segurança e a tranquilidade e normalidade a todos os residentes.

A PSP "continua as investigações destas duas ocorrências, nada indiciando, até ao momento, que estejam associados à manifestação ocorrida ontem [segunda-feira] no Terreiro do Paço", acrescenta.

Na segunda-feira, quatro pessoas foram detidas na sequência do apedrejamento de elementos da PSP por parte de moradores do bairro social da Jamaica, no Seixal, distrito de Setúbal, que protestaram em Lisboa, frente ao Ministério da Administração Interna, para dizer "basta" à violência policial e "abaixo o racismo".

Segundo o porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa, os manifestantes subiram cerca das 17 horas a Avenida da Liberdade, em direção ao Marquês de Pombal, onde ocuparam a praça central.

Pelas 18.30 horas começaram a descer a avenida, ocupando as faixas centrais e impedindo a circulação rodoviária, indicou a fonte, explicando que quando os elementos da PSP os obrigaram a passar para o passeio começaram a lançar pedras contra os agentes da autoridade e "pelo menos dois petardos".

Esta reação obrigou a "uma intervenção mais musculada da PSP", levando os manifestantes a dispersarem, indicou a fonte, não adiantando se foram disparados tiros.

O protesto teve como motivo a intervenção policial realizada no domingo de manhã no Bairro da Jamaica, quando a PSP foi alertada para "uma desordem entre duas mulheres", tendo sido deslocada para o local uma equipa de intervenção rápida da PSP de Setúbal. Na ocasião, um grupo de homens reagiu à intervenção dos agentes da polícia quando estes chegaram ao local, atirando pedras.

Na sequência destes incidentes, ficaram feridos, sem gravidade, cinco civis e um agente da PSP, que foram assistidos no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

A PSP abriu um inquérito para "averiguação interna" sobre a "intervenção policial e todas as circunstâncias que a rodearam".

A associação SOS Racismo anunciou que vai apresentar uma queixa ao Ministério Público na sequência destes acontecimentos.