Premium

Falsos advogados e políticos burlam Segurança Social em 273 mil euros

Falsos advogados e políticos burlam Segurança Social em 273 mil euros

Durante quatro anos, criaram falsas identidades, como advogados, empresários, políticos e diplomatas, para enganarem o Serviço Nacional de Saúde e receberem da Segurança Social (SS) um total de 273 mil euros em baixas médicas fraudulentas.

O caso de três homens (dois espanhóis e um português) está em julgamento no Tribunal de São João Novo, Porto, por crimes de burla tributária e falsificação de documentos. Mas os três indivíduos nunca foram apanhados pelas autoridades. Estão em parte incerta e são alvos de mandados de detenção internacionais.

De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), o esquema era simples: inscreviam-se na Autoridade Tributária e na SS como trabalhadores independentes, com altos rendimentos, para depois pedirem baixas médicas, alegando doenças psiquiátricas, o que lhes permitia, durante anos, receber avultados subsídios de doença.

Outros Artigos Recomendados