O Jogo ao Vivo

Caso "Red Man"

Formador da GNR suspenso por agressões recebeu louvor por dar sangue

Formador da GNR suspenso por agressões recebeu louvor por dar sangue

O oficial da Guarda Nacional Republicana (GNR) João Semedo, que está a cumprir uma pena de suspensão de 121 dias, por ter agredido e provocado lesões a 26 instruendos, do 40.º curso de formação do Centro de Portalegre, recebeu um louvor do comandante-geral, Tenente-Coronel Rui Clero.

A notícia foi avançada esta quinta-feira pelo Diário de Notícias, com base em informação interna da GNR, que diz que o motivo da distinção foi o facto de o alferes João Semedo ter dado sangue dez vezes, a primeira em 14 de agosto de 2015, mais três em 2016, duas em 2017, duas em 2018 e outras tantas em 2019, a última das quais a 11 de dezembro.

"Louvo o Alferes de Infantaria João Miguel Pacheco Semedo, daquela Unidade, por ter efetuado, gratuita e voluntariamente, dez doações de sangue (...) a doentes que dele careciam, demonstrando com tão generoso procedimento possuir exemplar consciência cívica e elevado espírito altruísta, a par de grande abnegação e profundos sentimentos de solidariedade em prol da vida do seu semelhante".

João Semedo, na altura da suspensão, era segundo-comandante no Destacamento de Sintra. Além de suspenso, foi ainda punido com a descida à quarta classe de comportamento, o que deverá ter impacto na carreira militar, em termos de promoções.

Em 2 de dezembro 2018, o JN revelou que agressões causadas por João Semedo no módulo formativo "Curso de Bastão extensível". Alguns dos instruendos sofreram lesões graves, que exigiram internamento hospitalar e intervenções cirúrgicas.

Aquando da denúncia do JN, a 2 de dezembro de 2018, o Comando Geral da GNR garantiu existir "um processo de averiguações para se apurarem as circunstâncias do sucedido".

Já o processo-crime movido pelo Ministério Público, em 29 de abril de 2021, estará ainda em fase de inquérito.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG