O Jogo ao Vivo

Investigação

Fraude ao SNS: PJ fez buscas na clínica onde "bebé sem rosto" foi seguido

Fraude ao SNS: PJ fez buscas na clínica onde "bebé sem rosto" foi seguido

A Polícia Judiciária de Setúbal realizou buscas na clínica Eco Sado por suspeita de fraude ao Serviço Nacional de Saúde. Foi nesta clínica que o bebé Rodrigo foi seguido sem que fossem detetadas as malformações com que nasceu.

A Eco Sado realizava ecografias a grávidas e obtinha o reembolso através de uma outra clínica que tinha acordo de convenção com o Serviço Nacional de Saúde (SNS). O esquema foi conhecido através do caso Rodrigo, que nasceu em outubro de 2017 no Hospital de Setúbal, sem parte do rosto e do crânio. A sua mãe, Marlene Simão, foi encaminhada para esta clínica para realizar as ecografias, pelo centro de saúde onde era acompanhada.

Quando o caso foi descoberto, o próprio presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo referiu que existiam "irregularidades de como foi feito o pagamento" dos reembolsos, uma vez que a Eco Sado nunca teve convenção com o SNS.

A Polícia Judiciária realizou sete buscas domiciliárias e não domiciliárias, tanto na clínica Eco Sado, como na que tinha convenção com o SNS, nas residências dos seus proprietários e num escritório de contabilidade. Não houve constituição de arguidos.

Os documentos apreendidos, ficheiros informáticos de natureza contabilística e bancária, requisições médicas e correio eletrónico foram encaminhados para o Ministério Público de Setúbal, que vai agora tentar perceber há quanto tempo durava este esquema e em que montante foi lesado o Estado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG