Burla

Freira com pena suspensa por desviar 400 mil euros de instituição

Freira com pena suspensa por desviar 400 mil euros de instituição

Um tribunal do Porto condenou, esta segunda-feira, uma freira a quatro anos e 10 meses de prisão, com pena suspensa, por desviar 400 mil euros do Centro de Bem-Estar Infantil e Juvenil Coração de Jesus, gerido por uma instituição católica.

A mulher, decidiu igualmente um coletivo de juízes do tribunal de São João Novo, terá de entregar à Província Portuguesa das Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora, instituição gestora do Centro Infantil, prestações mensais até perfazer 11.600 euros.

Também terá de formular um pedido de desculpas à lesada.

O crime por que foi condenada, o de burla qualificada, foi cometido entre 2002 e 2004, sendo descoberto apenas em 2007, numa altura em que a arguida já tinha fugido para o estrangeiro, apresentando-se à justiça apenas em 2021.

A arguida, que vive atualmente no Luxemburgo, onde trabalha num escritório, foi dispensada de comparecer na maioria das sessões, incluindo esta para leitura do acórdão.

Um cúmplice do desvio de fundos, a quem a religiosa entregou o dinheiro, já tinha sido julgado em 2014, sendo condenado então a quatro anos e meio de prisão, suspensa por igual período.

Em pleno julgamento, a religiosa assumiu ter sido seduzida pelo beneficiário do desfalque e disse, numa audiência de julgamento de 10 de novembro, que apenas se apoderou de cheques no valor global de 48 mil euros.

PUB

Os crimes foram possíveis porque a arguida, enquanto responsável pela secretaria do Centro de Bem-Estar, estava na posse de cheques em branco, falsificando a assinatura da madre-superiora, a legal responsável pela conta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG