Justiça

Galp terá pago 310 mil euros a consultores suspeitos de corrupção

Galp terá pago 310 mil euros a consultores suspeitos de corrupção

Raúl Morodo e Alejo Morodo, que é genro de Dias Loureiro, foram consultores da petrolífera portuguesa e estão sob investigação em Espanha. São suspeitos num esquema de corrupção ligado à petrolífera venezuelana PDVSA.

A petrolífera portuguesa Galp, na qual o Estado detém uma participação de 7%, terá pago, entre 2008 e 2013, cerca de 310 mil euros a Raúl Morodo e ao seu filho Alejo. Este último é casado com a filha de Dias Loureiro, que foi ministro de Cavaco Silva nos governos PSD de 1987-1991 e 1991-1995. A notícia foi revelada esta quinta-feira pelo jornal "Público".

Os dois espanhóis suspeitos são visados numa investigação que decorre em Espanha por suspeitas de corrupção no comércio internacional que envolve a petrolífera estatal venezuelana, a PVDSA - Petróleos de Venezuela S.A.

O diário conta que os dois espanhóis eram sócios da Morodo Abogados empresa que cobrou à Galp Exploração e Produção mais de 254 mil euros por serviços prestados entre 2009 e 2011. Essa informação consta das declarações da petrolífera portuguesa à autoridade tributária.

Mas as declarações da sociedade espanhola de advogados não coincidem nos valores nem nas datas, havendo uma discrepância de 150 mil euros registada entre os anos 2008 e 2013.

A investigação das autoridades espanholas revela que Alejo Morodo recebeu diretamente da Galp Espanha um valor extra de 55 mil euros em dois pagamentos; um terá sido feito em 2012 e o outro no ano seguinte, mas cujos valores não são coincidentes.

Num dos casos, o genro de Dias Loureiro declara 40.500 euros, enquanto a Galp Espanha declara 43.567; no outro, o cidadão espanhol reporta um pagamento de 10 mil euros e a petrolífera portuguesa declara 12.100 euros.

Além desses pagamentos, revela a investigação do "Público", as autoridades tributárias espanholas destacam que Alejo foi "assalariado ou profissional" da Galp Energia Espanha desde 2004, como comprovam as declarações de impostos que a empresa fez.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG