Tribunal

Gémeos que fugiram do TIC condenados a 12 e 15 anos de prisão

Gémeos que fugiram do TIC condenados a 12 e 15 anos de prisão

Os dois irmãos gémeos que em outubro de 2018 tinham fugido do Tribunal de Instrução Criminal do Porto foram esta quarta-feira condenados a 12 e 15 anos de prisão. Em causa estavam crimes como roubo qualificado, recetação, burla informática, evasão e tirada de presos.

Emanuel Santos foi condenado a 15 anos de prisão e Fernando Santos a 12 anos de prisão. O julgamento envolvia cinco outros arguidos e reportava-se essencialmente a roubos violentos a idosos.

Os gémeos estavam acusados de 30 crimes de roubo, um dos quais na forma tentada, 26 de furto qualificado, seis na forma tentada, três de burla informática, um de evasão e um de detenção de arma proibida. O Ministério Público tinha pedido para ambos 25 anos de prisão, a pena máxima em Portugal.

De acordo com o despacho de acusação, entre março e outubro de 2018, Emanuel e Fernando escolhiam casas unifamiliares cujos donos tivessem idade avançada e, através de arrombamento de portas ou janelas, levavam bens em ouro e prata, relógios e dinheiro.

Em mais de metade dos roubos, os suspeitos exerceram violência física ou psíquica sobre as vítimas.

Os crimes de evasão e tirada de presos estão relacionados com a fuga de três dos oitos arguidos - os gémeos e um sobrinho, de alcunha "Shevshenko" - do TIC do Porto, em outubro de 2018, enquanto aguardavam o transporte para a cadeia, depois de lhe ter sido aplicada prisão preventiva.

PUB

"Nessa ocasião, beneficiaram da conduta de uma das arguidas que lhes proporcionou a chave, depois de a ter retirado sub-repticiamente do local onde se encontrava, e mais tarde da conduta da última arguida que, para garantir o sucesso da fuga, lhes providenciou por um local onde se puderam esconder", relatou a Procuradoria Geral da República. O trio acabaria detido no dia seguinte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG