Premium

Geria fortunas de Rangel mas não tinha dinheiro para comer

Geria fortunas de Rangel mas não tinha dinheiro para comer

Testa de ferro do desembargador socorria-se de empresária da restauração para satisfazer necessidades básicas. Operação Lex acusou 17 arguidos.

O advogado José Santos Martins, que a Operação Lex tem como amigo e testa de ferro de Rui Rangel, movimentou e geriu rendimentos não declarados deste juiz que ascenderam a um milhão de euros, entre 2012 e 2017, mas tinha de mendigar pequenos empréstimos para comer ou pôr gasóleo no carro.

"Não tenho um euro nem gasóleo para regressar a casa ao fim do dia", queixava-se Santos Martins, a 18 de agosto de 2017, em mensagem para Natércia Pina, empresária de restauração e uma das pessoas que terão financiado Rangel ao longo de anos. "Veja por favor se seria possível ir aos Sabores [Salteados, nome de restaurante da empresária] buscar 100 ou 120 euros".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG