O Jogo ao Vivo

Confinamento

GNR e PSP apertam fiscalizações a partir da meia-noite

GNR e PSP apertam fiscalizações a partir da meia-noite

O primeiro-ministro foi claro: haverá mais fiscalizações das autoridades quanto ao cumprimento das novas normas de combate à pandemia. GNR e PSP já estão a preparar fiscalizações nos locais onde normalmente se verificam aglomerações de pessoas. Haverá ainda operações de trânsito.

As novas medidas entram em vigor à meia-noite desta quarta e estão previstas para durar um mês, mas as sanções por eventual desrespeito por parte dos cidadãos serão logo sancionadas.

"Entre outras formas de intervenção, a PSP irá recorrer, sempre que avalie como necessário e em coordenação com as edilidades, ao encerramento ou restrição de acesso a espaços públicos de potencial grande concentração de pessoas", adiantou ao JN fonte oficial da PSP que sublinha: "naturalmente que o desrespeito por esse encerramento ou restrição, ainda que por motivos legalmente previstos (como passear o animal de estimação) será imediatamente sancionada, porquanto não constitui motivo válido para entrada no espaço restrito".

Tal como a PSP, a GNR também prevê orientar o patrulhamento para os locais e "espaços públicos de maior circulação e propícios ao ajuntamento de pessoas, nomeadamente praças, jardins e junto às zonas balneares, bem como nas imediações dos estabelecimentos escolares", indicou fonte da Guarda que também irá efetuar "operações de fiscalização de âmbito rodoviário, especialmente para evitar a circulação entre concelhos", aferindo se os deslocamentos se encontram a ocorrer ao abrigo das normas em vigor.

Embora haja o objetivo firme de fazer cumprir as novas restrições, a PSP "manterá, sempre que possível e se afigure necessário, uma postura de informação e apoio de proximidade junto dos cidadãos", explica a PSP. No entanto, "sempre que detetemos o claro desrespeito ou abuso das regras não hesitaremos, como nunca hesitamos, em recorrer aos poderes conferidos aos Polícias e aplicar as sanções legalmente previstas", garante a mesma fonte.

A GNR também irá manter ações de sensibilização junto da população sobre as novas normas, no entanto, "a atuação da Guarda pautar-se-á por garantir o cumprimento dos normativos aprovados, nomeadamente através da participação a tribunal de todas os ilícitos criminais detetados, bem como pela elaboração dos respetivos autos de contraordenação referentes a infrações que venham a ser detetadas, por forma a garantir a não concentração de pessoas na via pública e, sempre que necessário, promovendo à sua dispersão", adiantou fonte do Comando Geral.

As duas forças de segurança irão sempre exigir a exibição da autorização de deslocação, sempre que suspeitam de uma infração.

PUB

Contactados pelo JN, os dois sindicatos mais representativos da PSP e da GNR, Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP) e Associação dos Profissionais da Guarda (APG), garantiram que as forças irão cumprir as suas missões. No entanto, tanto Paulo Santos da ASPP como César Nogueira da APG, acreditam que os profissionais podem vir a sentir uma sobre carga de trabalho, com estas novas operações de fiscalização. Ambos também garantem haver uma falta de meios para o pleno cumprimento das missões.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG