Exclusivo

GNR que morreu em acidente estaria a trabalhar há 14 horas

GNR que morreu em acidente estaria a trabalhar há 14 horas

Ferido grave na colisão junto ao autódromo de Portimão é um jornalista espanhol, resgatado de um táxi em chamas.

O militar da GNR que, no sábado, morreu na sequência de uma colisão entre a moto que conduzia e um veículo ligeiro, na via de acesso ao Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, terá começado a trabalhar "por volta das 6 horas", disse, ao JN, fonte próxima do militar. O alerta foi dado pelas 19.45, quase 14 horas depois.

João Fernandes, de 45 anos, primeiro-sargento do Destacamento de Trânsito de Faro, estaria a terminar o serviço de segurança ao Grande Prémio de Portugal de MotoGP. Era natural da freguesia de Folques, concelho de Arganil, e tinha dois filhos menores, uma menina de 11 e um rapaz de cinco. A família está a receber apoio psicológico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG