Lagos

PSP interrompe almoço de dez pessoas em restaurante

PSP interrompe almoço de dez pessoas em restaurante

Um restaurante, em Lagos, foi encerrado pela PSP por estar a servir o almoço a dez pessoas. O proprietário e os clientes foram autuados e arriscam o pagamento de multas por violação das regras do estado de emergência.

A ação de fiscalização foi desencadeada, esta segunda-feira, após várias denúncias anónimas, que davam conta de que o estabelecimento estava a servir almoços e jantares, à porta fechada, a grupos de pessoas.

Os agentes deslocaram-se ao restaurante, cerca do meio-dia, e confirmaram as denúncias. De acordo com o subintendente Hugo Marado, do Comando Distrital de Faro da PSP, "no momento da fiscalização estavam, no interior do estabelecimento, dez pessoas preparadas para almoçar".

No local, "foi possível constatar, em flagrante, a entrada pelas traseiras, por forma a ludibriar a polícia", acrescenta. A PSP apurou que "haveria um acordo entre o estabelecimento e duas empresas de construção civil para fornecer refeições aos seus colaboradores a um preço mais acessível".

O responsável pelo restaurante, Volodymyr Shevchuck, confirma que estava a servir refeições e garante que o fez por se tratar de "homens que são de longe, trabalhadores da construção civil, e que não têm condições de comer em casa".

O espaço está a trabalhar em regime take-away, mas, para Volodymyr, "não é digno fazer as refeições dentro de uma carrinha". Diz, ainda, que tem "renda e ordenados para pagar aos empregados", mostrando-se "revoltado" com o encerramento dos restaurantes. "Não vou pagar a multa", assegura. Por estar em causa a violação das regras do estado de emergência foram instaurados processos de contraordenação ao proprietário e os dez clientes, que arriscam o pagamento de multas

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG