Sindicato

Guardas prisionais exigem progressão na carreira

Guardas prisionais exigem progressão na carreira

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) entregou esta terça-feira no Ministério da Justiça um abaixo-assinado exigindo promoções imediatas para centenas de guardas cuja carreira está estagnada "há 21 anos".

No documento, a que o JN teve acesso, entregue ao chefe de gabinete da ministra Catarina Sarmento e Castro, os cerca de 3000 subscritores exigem "a rápida resolução para as suas mais que legítimas aspirações" e "a promoção imediata" dos cerca de 350 guardas que iniciaram a carreira no ano de 2000, sem qualquer promoção até aos dias de hoje. O SNCGP reivindica ainda o início do "processo de desbloqueio de vagas com vista à promoção dos Guardas com mais de 15 anos de serviço".

No abaixo-assinado, promovido pelo SNCGP, é chamada a atenção da ministra para os problemas que "a desmotivação pode causar", tendo em conta "anos e anos de abandono das sucessivas tutelas". Considerando insustentável "que ao fim de 21 de serviço prestado em nome do Estado Português", sem verem "compensados e reconhecidos os seus esforços, como seria expectável". Salientando que "nunca tiveram sequer uma oportunidade de progressão, devido à inexistência de concursos", os guardas referem que "em nenhuma outra força de segurança existe tal desconsideração pelos seus elementos".

PUB

Ao que o JN apurou o chefe de gabinete da ministra da Justiça prometeu a abertura de diálogo para "muito breve".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG