Covid-19

Dois funcionários e 65 presos infetados no Estabelecimento Prisional de Lisboa

Dois funcionários e 65 presos infetados no Estabelecimento Prisional de Lisboa

Há 65 reclusos e dois trabalhadores infetados com covid-19 no Estabelecimento Prisional de Lisboa, o que levou ao isolamento daqueles presos numa única ala. Na sequência destes resultados, irão ser testados os restantes reclusos e funcionários.

Em nota divulgada esta quinta-feira, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) recorda que, na sequência de um funcionário do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL) infetado, foi ativado o plano de contingência, que passou pela testagem dos reclusos internados nos Serviços Clínicos, seis do quais acusaram positivo.

Foram então testados os cerca de 200 reclusos das alas H e C e os trabalhadores identificados (cerca de 30) como tendo tido contactos suscetíveis de risco de contágio, numa operação concluída ao final da tarde de quarta-feira.

Esta quinta-feira de manhã, ficou a saber-se que existem mais um trabalhador e 59 reclusos infetados, sendo que estes, genericamente assintomáticos segundo a DGRSP, foram afetados a uma única ala do EPL onde permanecerão em isolamento e acompanhados clinicamente.

Irão agora ser testados todos os reclusos (cerca de 900) e os trabalhadores (cerca de 240).

Foram suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho e as visitas, com exceção das dos advogados.

"Os reclusos manterão, naturalmente, o direito legalmente consagrado a recreio a céu aberto e a telefonar", informou a DGRSP.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG