Exclusivo

Historial de violência não evitou metade de 128 homicídios em relações

Historial de violência não evitou metade de 128 homicídios em relações

Estudo da Polícia Judiciária prova que muitas mulheres eram perseguidas e agredidas pelos companheiros que as assassinaram.

Em 64 dos 128 casos de homicídio ocorridos no contexto de relações amorosas, entre 2014 e 2019, havia antecedentes de violência. E, em 43 dos casos, as vítimas mortais, na maioria mulheres (111 de 128), já tinham sido mesmo ameaçadas de morte, por atuais ou antigos maridos, companheiros, namorados ou amantes com historial de ciúmes e perseguições.

O problema foi que muito poucos agressores tinham sido sujeitos a ordens judiciais que os afastassem das vítimas, antes de as matarem, aponta um estudo elaborado pela Polícia Judiciária (PJ), que considera ainda "alarmante" que 44 assassinatos tenham sido cometidos com armas de fogo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG