Tribunal

Homem nega autoria de disparo sobre cliente em bar da Feira

Homem nega autoria de disparo sobre cliente em bar da Feira

O homem que começou a ser julgado, na tarde desta terça-feira, no Tribunal da Feira, acusado pelo Ministério Público da tentativa de homicídio, em 2018, num bar da Vergada, Santa Maria da Feira, nega ter sido o autor do tiro que atingiu um cliente.

O arguido, 59 anos, responde em tribunal por um crime de homicídio agravado, na forma tentada, um crime de detenção de arma proibida, um crime de detenção de arma proibida em estabelecimento de diversão e, por último, um crime de uso de arma sob efeito de álcool.

De acordo com a acusação, deslocou-se ao Bar Vergada, levando escondida no bolso do casaco uma arma de fogo.

Quando já se encontrava alcoolizado, foi até ao hall do bar onde encontrou dois clientes com quem teve uma contenda inicialmente verbal, mas que passou a agressões.

Diz o Ministério Público que, no meio do desentendimento, o arguido acabaria por disparar a arma, atingindo um dos clientes no braço esquerdo.

Mas perante o coletivo, o homem negou ter sido o autor do disparo, afirmando que não transportava nenhuma arma.

Justificou que os dois homens lhe exigiram o dinheiro que trazia no casaco e que após a recusa de entregar "o que trazia no bolso", seguiram-se as agressões verbais e o consequente disparo.

"Não dei tiro nenhum, foi um deles que disparou", garantiu o arguido, precisando que o disparo foi efetuado por um dos dois homens com quem se envolveu na contenda.

Confrontado pelo juiz com o facto de estar, na altura dos factos, com uma taxa de alcoolemia de 2,8 gr./l. de sangue, reconheceu que "tinha bebido, mas estava consciente", garantiu.

Chegou mesmo a afirmar que antes de entrar no bar em causa esteve numa festa onde "tinha cheirado cocaína". Justificando por esse motivo que estava "consciente". "Não estava a cair [embriagado]", referiu.

Os dois homens, que o Ministério Público aponta como terem sido alvo das investidas do arguido, não compareceram em tribunal. As autoridades não os conseguiram notificar.

Outras Notícias