Ferreira do Zêzere

Homem que matou padrasto em disputa pela guarda do filho fica em preventiva

Homem que matou padrasto em disputa pela guarda do filho fica em preventiva

O homem que na sexta-feira matou à facada o padrasto, de 73 anos, em Ferreira do Zêzere, vai aguardar julgamento em prisão preventiva. O crime foi cometido num contexto de disputa pela guarda do filho do agressor, que vivia com os avós.

Foi o Tribunal de Ourém quem decidiu, este sábado, colocar o homicida em prisão preventiva depois do homem ter sido detido na sexta-feira pela Polícia Judiciária (PJ) de Leiria.

Nunca aceitou que a custódia do filho, hoje com dois anos, fosse entregue à avó (mãe do homicida) e ao companheiro (padrasto). Depois de múltiplos conflitos ao longo dos últimos meses, Miguel, de 43 anos, decidiu matar o parente. Tudo indica que o crime foi premeditado.

O homicida já se tinha deslocado algumas vezes ao lugar de Rubária, em Pias, Ferreira do Zêzere, para estar com o filho. As visitas nunca foram pacíficas, ao ponto da GNR ter sido chamada várias vezes para acalmar os desacatos.

A Justiça tinha decidido atribuir ao casal de reformados a educação da criança e Miguel não se conformava. na sexta-feira, antes das oito horas, apareceu em casa e terá voltado a exigir levar o filho para Lisboa, dizendo estar disposto a tudo para o conseguir.

Francisco, um bancário reformado e natural de Ferreira do Zêzere mas que sempre trabalhou na zona de Lisboa, tentou impedi-lo de levar o menino. Armado com o punhal, esfaqueou o padrasto várias vezes. Agarrou na criança e fugiu com ela ao colo para uma zona de mato.

Os vizinhos aperceberam-se dos gritos e souberam logo que, desta vez, os desacatos tinham sido muito mais violentos. Seguiram Miguel e o choro da criança levou-os até ao local onde pai e filho se escondiam. Imobilizaram o homem e seguraram-no até à chegada de uma patrulha da GNR, que o entregou à PJ.

Outras Notícias