Matosinhos

Homem que tentou matar vizinho e fazia vida negra aos moradores fica em preventiva

Homem que tentou matar vizinho e fazia vida negra aos moradores fica em preventiva

O indivíduo que foi detido pela Polícia Judiciária do Porto por tentar matar um vizinho, na Senhora da Hora, em Matosinhos, vai aguardar julgamento em prisão preventiva. Homem perseguia moradores e fazia-lhes a vida negra.

Durante anos, perseguiu, injuriou, difamou, ameaçou e chegou a usurpar a identidade de vizinhos do prédio onde vivia. Tudo por causa de quezílias de condomínio.

Desde 2012, que o indivíduo passou a viver no prédio e começou a desconfiar das contas do condomínio. As desavenças foram subindo de tom e o morador iniciou uma perseguição aos vizinhos.

Além de ameaças de morte, danos em automóveis, ignição de pequenos focos de incêndios no prédio, os moradores também foram vítimas de difamação e usurpação de identidade. O detido é suspeito de ter enviado um mail a uma entidade pública, fazendo-se passar por um dos vizinhos, para o comprometer.

Também terá colocado cartazes insultuosos no prédio e lançado suspeitas de pedofilia contra as vítimas. É ainda suspeito de arrombar caixas de correio e apoderar-se da correspondência dos vizinhos.

Ao longo dos anos, foram feitas várias queixas junto das autoridades. Eram participações por causa dos danos causados nas caixas de correio, nos veículos mas também por injúrias. Só que nunca era possível juntar prova suficiente para travar o vizinho.

PUB

No passado dia 15 de agosto de 2021, "acentuou a gravidade da sua reiterada conduta criminal, agredindo com violência um seu vizinho com recurso a um martelo, não lhe tendo provocado a morte por mero acaso e pela intervenção de outros residentes", adiantou a PJ do Porto.

A investigação que foi aberta após a tentativa de homicídio permitiu juntar todas as queixas existentes e reunir prova da autoria de vários dos crimes. Nas buscas a casa do suspeito, terão sido encontrados rastos digitais do e-mail em que o suspeito usurpou a identidade do vizinho.

O desempregado, de 43 anos, com antecedentes criminais por condução sob o efeito de álcool e ofensas à integridade física foi levado ao Tribunal de Instrução Criminal, onde o juiz decidiu colocá-lo em prisão preventiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG