Premium

Homicida de emigrante português queria vingar-se e "vingar Profeta"

Homicida de emigrante português queria vingar-se e "vingar Profeta"

Turco-suíço, de 26 anos, tinha na sua posse uma faca e um Corão quando foi detido e confessou. Estava vigiado pelas secretas desde 2017 por ativismo jiadista e tinha saído da prisão em julho.

O homicídio à facada de João Azevedo, jovem emigrante português, de 29 anos, assassinado na cidade suíça de Morges no passado sábado, terá tido motivações terroristas, segundo as autoridades helvéticas. O autor do crime, de 26 anos, tem dupla nacionalidade, turca e suíça, foi detido pouco depois do crime e já confessou, afirmando que agiu para se "vingar do Estado suíço" e para "vingar o Profeta". Tinha saído da cadeia há pouco mais de um mês e estava sob vigilância dos serviços secretos por atividades relacionadas com o Estado Islâmico.

João Azevedo era natural de Vila Meã, Amarante, e estudou em Coimbra, no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra. Estava na Suíça há cerca de dois anos e trabalhava.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG