Premium

Homicida de freira já tinha violado jovem noutra liberdade condicional

Homicida de freira já tinha violado jovem noutra liberdade condicional

Condenado por violação cometida em 2003, mês e meio após sair da cadeia. Método do mata-leão usado em duas violações e na morte da irmã "Tona".

A violação que levou à condenação do alegado homicida da freira "Tona" a 16 anos de cadeia, em 2005, em S. João da Madeira, foi cometida por Alfredo um mês e meio depois de ter sido libertado da prisão, em liberdade condicional, após cumprir parte de uma pena de mais de nove anos a que tinha sido condenado, em Pombal, em 1999, por outra violação. Agora, o cenário repetiu-se. À tentativa de violação de uma jovem, no mês passado, quatro meses após ser libertado, seguiu-se o ataque à irmã Antónia Pinho, que acabou com a sua vida, apesar de uma perícia psiquiátrica o ter considerado "perigoso", "incapaz de se reinserir" e de controlar o "exagero" das suas "reações comportamentais".