Exclusivo edição impressa

Líder islâmico do Porto usou rede ilegal para ter papéis

Líder islâmico do Porto usou rede ilegal para ter papéis

O atual imã da mesquita do Porto foi condenado por um crime de falsificação de documento, numa rede de auxílio à imigração ilegal, desmantelada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Segundo o acórdão, datado de 24 de fevereiro, Abelkader Mustaphi, 37 anos, de nacionalidade marroquina, obteve extratos de remunerações falsificados da empresa Grande Caminhada, Lda, então gerida por Bruno Serafim, de 35 anos, considerado o principal arguido.

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG