Lisboa

A vida de luxo dos reformados que traficavam droga em cruzeiros

A vida de luxo dos reformados que traficavam droga em cruzeiros

Os dois reformados ingleses detidos, a bordo de um paquete de luxo, na posse de nove quilos de cocaína dissimulados em malas de viagem, viviam junto a Alicante, em Espanha, e faziam cerca de seis cruzeiros por ano. No entanto, Sue e Roger Clarke nunca explicaram aos amigos a origem do dinheiro que lhes permitia manter o estilo de vida faustoso.

Estes pormenores surgem nas páginas dos jornais ingleses, dois dias depois de o JN ter dado conta da operação da Polícia Judiciária que levou à detenção do casal com 70 e 72 anos de idade. Um deles, o The Sun, refere, citando passageiros do cruzeiro de 32 noites que partiu de Inglaterra e passou pelas Caraíbas, Açores e Madeira antes de atracar no porto de Lisboa, que as malas nas quais estava dissimulada a cocaína foram levadas por Roger Clarke para o interior do paquete, após este ter atracado numa ilha do Caribe.

Segundo o relato, o pensionista de 72 anos deixou a mulher no navio e foi a terra com a justificação de que tinha um encontro com amigos. Pouco depois voltou com quatro novas malas, que colocou de imediato na cabine. Quando regressou para junto da esposa gabou-se que tinha feito um excelente negócio ao comprar por 200 libras quatro malas que custariam cerca de 1500 na cadeia de lojas Harrods.

Durante a viagem, o casal Clarke já tinha avisado os companheiros que poderia ter de abandonar o navio de luxo a qualquer momento, devido a uma doença da irmã de Sue. Por este motivo, ninguém suspeitou quando os pensionistas deixaram de ser vistos após a paragem em Lisboa.

Aos jornais ingleses, passageiros do navio Marco Polo revelaram ainda que Roger Clarke andava sempre com os bolsos cheios de dinheiro e que fazia questão de pagar a conta das bebidas que o grupo consumia em terra ou no interior do barco.

Já a página de Facebook de Sue Clarke mostra que o casal participava em vários cruzeiros de luxo ao longo do ano. Em 2016, por exemplo, esteve pelo menos duas vezes na Jamaica.

Segundo a Polícia Judiciária, que teve a colaboração dos ingleses da National Crime Agency, o casal de reformados estava ao serviço de uma rede criminosa sediada em Inglaterra e traficava cocaína das Caraíbas para a Europa. Sue e Roger Clark, que já tinham antecedentes criminais, recorriam a cruzeiros de luxo, frequentados sobretudo por pensionistas, para não levantar suspeitas e escapar à fiscalização das autoridades internacionais.

Mesmo assim foram sinalizados, investigados e detidos pela Judiciária quando o navio em que viajavam atracou em Lisboa.

ver mais vídeos