Investigação

Secretário-geral do PSD: "Sofri muito nos últimos dias"

Secretário-geral do PSD: "Sofri muito nos últimos dias"

A Procuradoria-Geral da República remeteu para inquérito no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa os elementos que recolheu sobre o caso do currículo do secretário-geral do PSD, Feliciano Barreiras Duarte.

"Na sequência de notícias vindas a público, a Procuradoria-Geral da República procedeu à recolha de elementos. Esses elementos foram encaminhados para o DIAP de Lisboa com vista a inquérito", revelou a Procuradoria-Geral da República (PGR), em resposta ao JN, sem adiantar mais pormenores.

Em comunicado, Feliciano Barreiras Duarte reagiu, dizendo que "não obstante ter dado sempre todos os esclarecimentos", tem "sido alvo de uma campanha ignominiosa" que afeta a sua família e que, "em última análise, tem o objectivo principal de atacar a direcção do PSD e em particular o seu líder, Rui Rio".

O secretário-geral do PSD insistiu que nada fez de errado "no chamado processo Berkeley" e reafirma que "todos os movimentos e acções relacionados com esse caso estão devidamente documentados e são inequívocos".

"Fui convidado para 'visiting scholar' (estatuto que não confere qualquer grau académico) e não me fiz convidado; não tirei qualquer proveito da Universidade de Berkely - nem financeiro, nem académico, nem profissional, nem político", afirma.

Depois destas declarações, Feliciano Barreira Rodrigues garante que irá "esperar serenamente e em silêncio absoluto", mas "magoado, pelos resultados do inquérito da PGR". E remata: "Sofri muito nos últimos dias".

ver mais vídeos