Premium

Ação da GNR não evitou homicídio duas horas depois

Ação da GNR não evitou homicídio duas horas depois

Discussão entre companheiros de copos, que levou um vizinho a chamar a Guarda, acabou com navalhada fatal. Mas foi o agressor a telefonar para o 112.

A GNR de Oliveira do Hospital deslocou-se ao local, após a queixa de um vizinho, mas não evitou que, cerca de duas horas depois, o dono da casa onde acorrera acabasse por ser ali assassinado, com uma navalhada no pescoço. O crime foi cometido ontem de madrugada por um homem, de 48 anos, com quem a vítima, um pastor, da mesma idade, estaria a beber vinho há várias horas, numa casa sem água canalizada nem eletricidade, na pequena aldeia da Malhadoura, junto à Lajeosa, Oliveira do Hospital.

Fonte da GNR assumiu, ao JN, que uma patrulha estivera no local, por volta das zero horas de ontem, porque um vizinho se queixara de "ruído". Mas, oficialmente, o Comando Territorial de Coimbra da GNR, questionado ontem à tarde pelo JN, escusou-se a confirmar aquela deslocação à casa antes do crime. Já uma vizinha afirmou - sob anonimato, como fizeram os poucos vizinhos que aceitaram falar - que a GNR fora chamada por causa de ruído, sim, mas relacionado já com uma discussão entre o homicida e a vítima.