Julgamento

Advogada confessa ter ficado com dinheiro de cliente

Advogada confessa ter ficado com dinheiro de cliente

A advogada Ema Magalhães Santos confessou esta quarta-feira, no início do seu julgamento, ter ficado com 38500 euros, dos 50 mil que um cliente lhe havia adiantado para despesas em processos judiciais. A acusação refere que a quantia ascende a quase 200 mil euros.

Ema Magalhães Santos enfrenta ainda um processo de insolvência pessoal, no valor total superior a um milhão e meio de euros, supostamente desviados, dos quais um milhão seria de um empresário hoteleiro de Barcelos e meio milhão de um padre de Guimarães, alegadamente através de vários esquemas fraudulentos que a advogada tem vindo a negar.

A causídica, defendida pelo advogado Artur Marques, escapou há dois anos a condenação ao ter pago por uma situação idêntica à que está agora ser julgada, porque na ocasião após o julgamento indemnizou outra antiga cliente, a artesã Conceição Sapateiro, de Barcelos.

Ema Magalhães Santos, atualmente suspensa pela Ordem dos Advogados, começou a ser julgada na manhã desta quarta-feira, no Tribunal de Braga. Na acusação, o Ministério Público imputa à causídica de Barcelos a apropriação de quase 200 mil euros de um empresário barcelense que era seu cliente, ao ter simulado propositura de ações judiciais, cobrando diversas quantias em dinheiro e cheque para o pagamento de despesas e honorários de trabalhos que não fez, pelo menos em grande parte, refere o MP.

ver mais vídeos