Premium

Agente da PSP ficava com armas que eram entregues para abate

Agente da PSP ficava com armas que eram entregues para abate

Um agente da PSP aposentado, da esquadra de Moura, do Comando Distrital de Beja, foi acusado se ter apoderado de espingardas e pistolas que lhe tinham sido entregues por particulares para abate.

O homem foi acusado pelo Ministério Público (MP) de quatro crimes de peculato, um de falsificação de documento e outro de detenção de arma proibida. O MP suspeitou de encobrimento de superiores e mandou investigar estes indícios à parte.

De acordo com a acusação, a que o JN teve acesso, o caso foi descoberto em agosto de 2013, na sequência de uma tentativa de aquisição, pelo arguido, através da Internet, de 50 munições para uma carabina de caça que tinha desaparecido da esquadra. Na compra, o agente usou documentos feitos por si, e com o carimbo da PSP, já depois de ter deixado o serviço.